NOTÍCIAS

5 dicas para o sucesso empresarial

21 NOV 2019

Ser dono do próprio negócio é o sonho de 28% dos brasileiros, segundo uma pesquisa publicada pelo Instituto Data Popular em 2015. Isso equivale a 38,5 milhões de pessoas. É gente pra caramba!!

Porém, ter uma empresa não é tarefa fácil. Se você tem uma, já está de parabéns. Se você pensa em ter, tenha cuidado, pois assumir o papel do patrão exige muita dedicação, esforço e sacrifício.

De acordo com o IBGE, em pesquisa publicada em 2016, SEIS em cada DEZ empresas fecham as portas antes de completar 5 anos! Esse dado confirma que: EMPREENDER NÃO É PARA QUALQUER UM!

- Se a sua empresa tem menos de 5 anos, com certeza você precisa continuar lendo esse artigo, ou pode acabar entrando para essa estatística!

Resumidamente: Nosso país é cruel com quem quer empreender!

 Temos uma elevadíssima carga tributária, que não se traduz em benefícios. Os bancos pedem mundos e fundos para ceder um empréstimo, que virá com juros absurdamente altos. Uma burocracia enorme para emissão de licenças, alvarás e vistorias. Tudo isso em linhas gerais, pois existem mais inúmeros problemas se analisarmos cada tipo de empresa.

Agora você deve estar se perguntando: o que fazer para que a minha empresa tenha mais que 5 anos de vida?

- Nesse momento só posso indicar que continue lendo esse texto.

O empreendedorismo é resultante de duas portas: OPORTUNDADE ou NECESSIDADE.

 Em termos grosseiros isso quer dizer o seguinte:

Empreendedorismo por Oportunidade: você escolheu montar um negócio, embora tivesse outras opções. Exemplo: você viu que poderia ganhar dinheiro trabalhando na sua própria empresa e pediu demissão do seu emprego.

Empreendedorismo por Necessidade: você não tinha mais escolha e montar um negócio era a última opção. Exemplo: Foi despedido e não conseguiu se recolocar no mercado em tempo hábil.

Mas independente da motivação para empreender, o perfil básico do empreendedor brasileiro consiste naquela pessoa que faz bem alguma coisa e quer transformar isso em um negócio. É o caso do professor que monta a própria escola, do profissional de educação física que monta sua academia, da costureira que monta sua confecção, do mecânico que monta sua oficina...

Agora observem comigo, qual a carga de conhecimento de Gestão de Negócios que as profissões citadas acima possuem? Dos seus amigos que já são empresários, quantos se dedicam ao ESTUDO e PRÁTICA de conceitos da administração? Se você tem uma empresa, reflita sobre o tempo que dedica para se aperfeiçoar no mundo dos negócios.

Esse é o ponto central desse artigo e um dos maiores motivos das empresas fecharem suas portas: falta de conhecimento em negócios!

- Vou pegar como exemplo o caso de um professor:

Esse professor é um ótimo pedagogo. Tem vários cursos e certificações. Sabe ministrar uma aula com maestria e seus alunos tem um elevado desempenho. Ele é, sem dúvida, um dos melhores profissionais da sua cidade em sua área de ensino.

Um belo dia, depois de anos de experiência, esse professor resolve abrir a própria escola. Como todo bom empreendedor de primeira viagem, sofre muito para conseguir as licenças e os alvarás. Fica perplexo com o custo de todas as taxas. Tolera calado a demora dos órgãos competentes para liberar suas operações, mas no final está tudo pronto. EMPRESA LEGALIZADA!

Ele compra os equipamentos, contrata os demais professores, faz seu marketing para atrair alunos, faz todo o necessário para dar a partida na sua escola. As aulas começam. Começa também a inadimplência. Surgem alguns conflitos com os professores e pais de alunos. O governo cria uma nova regra que ele precisa cumprir. Outra escola abre à poucos metros de distância.

No final do ano letivo, ele até ganhou mais dinheiro, mas ganhou também mais rugas e preocupações que ele não tinha quando trabalhava como professor para uma outra escola.

Essa é a realidade da grande maioria dos nossos empreendedores e os problemas só aumentam com o tempo. Quanto mais uma empresa fatura, maiores são as exigências legais. Também aumenta a quantidade de funcionários. Quanto mais clientes tem, mais possibilidade de conflitos.

- Mas tenha calma. Nem tudo está perdido.

As dificuldades de montar e manter uma empresa não devem te assustar a ponto de te fazer desistir. Mas devem servir de aviso. Lembre-se que nem todas as empresas fecham as portas. Os empresários que prosperam conseguem isso pois aprendem a jogar o jogo dos negócios. Entendem as regras e melhoram suas habilidades como jogadores.

No jogo que acontece do mundo dos negócios existem 5 HABILIDADES que devem ser aprimoradas SEMPRE! Não importa em que fase do jogo você está, sem essas habilidades, mais cedo ou mais tarde o jogo vai terminar para sua empresa.

Todas elas são igualmente importantes e devem ser estudadas, treinadas e aplicadas conforme a necessidade de cada momento da empresa. Você também pode buscar essas habilidades em outras pessoas, como seus sócios, funcionários e consultores.

IMPORTANTE: ESSAS SÃO HABILIDADES BÁSICAS. NENHUMA EMPRESA CONSEGUE PROGREDIR DE FORMA SUSTENTÁVEL SEM ELAS.

HABILIDADE 1 – PLANEJAMENTO

Planejar é uma habilidade rara, mas é o alicerce de qualquer projeto de sucesso. Tudo que for feito em uma empresa tem que ter um propósito, um motivo. Contratar ou demitir um funcionário. Mudar de fornecedor. Ampliar o portfólio de produtos. Qualquer que seja a decisão, grande ou pequena, deve ter respaldo e um resultado esperado. Tem que fazer parte de algo maior.

Para quem gosta de definições mais objetivas:

Planejamento é um processo que possibilita perceber a realidade, avaliar os caminhos, construir um referencial futuro, o trâmite adequado para seu atingimento e reavaliar todo o processo.

Se você acompanha algum esporte é fácil entender essa relação, pois essa é a habilidade que mais aproxima o mundo dos negócios a um jogo. A empresa é um time, os funcionários são os jogadores, os concorrentes são os adversários e o empresário é o técnico e o dirigente da equipe. Os clientes são os objetivos do jogo. Cada novo dia, uma nova partida.

Que jogador ficará em cada posição? O que ele precisa fazer nessa posição? Que estratégias você desenhou para ganhar a partida? Se a estratégia não tiver resultado, o que vai fazer? O que você espera do seu adversário? Como vai reagir?

Sem o devido planejamento, uma empresa acaba perdendo o seu propósito. O objetivo vai se tornando mais distante. Os jogadores ficam dispersos, desmotivados e não trazem mais resultados. Partidas são perdidas, jogadores são perdidos, clientes vão embora. No final o jogo termina para a sua empresa.

Existem muitas maneiras diferentes de planejar. Muitas ferramentas e métodos. Mas há algo em comum a todas elas: dedicação, senso critico e disciplina. Pare um minuto. Largue sua rotina por algumas horas e pense: O que você quer para a sua empresa? Como vai chegar nesse objetivo? Vai precisar de ajuda? O que está disposto a fazer?

Comece planejando sua agenda de compromissos. Sua rotina diária. Seus processos. São os primeiros passos para poder fazer grandes planos.

HABILIDADE 2 – GESTÃO

Gerir uma empresa, é muito mais do que dar gritos e bancar o poderoso chefão. É bem mais que ser o primeiro a chegar e o último a sair.

Gerenciar é garantir que as tarefas sejam feitas da melhor maneira possível. É acompanhar o desempenho dos funcionários e a satisfação dos clientes, o giro do estoque e o fluxo de caixa. Gerenciar é criar método para cada tarefa, processo e rotina. É ter indicadores para visualizar o andamento das atividades. É fazer sempre o melhorar possível com o que se tem disponível.

Mais uma definição objetiva: Gestão é a otimização do funcionamento de uma organização através de decisões racionais pautadas na coleta e análise de dados e informações relevantes, visando a maximização do seu desenvolvimento e a satisfação de todos os interessados.

É a gestão que deve garantir que todas as tarefas sejam cumpridas e aperfeiçoadas. Ela deve estar em todos os lugares e em todos os momentos. Gestão do Tempo. Gestão de Conflitos. Gestão Financeira. Gestão de Pessoas. Gestão de Processos... Gestão... Gestão... Gestão.

Quando você vai em uma loja e é mal atendido. Quando seu prato chega à mesa com algum problema. Quando te entregam algum produto errado. Com quem da empresa você pede para falar? Com o GERENTE!

Para ser um bom Gestor é preciso muito senso crítico, disciplina e estudo. Sim, estudo. Não é preciso um diploma universitário para ser um Gestor, mas é preciso estudar novos métodos de fazer a mesma atividade. Como reduzir o tempo disso e o custo daquilo? Como garantir a qualidade dos produtos e serviços? Como melhorar o atendimento aos clientes? São perguntas que o Gestor precisa se fazer diariamente.

HABILIDADE 3 – FINANÇAS

Finanças, para nós, são todos os números ($) da empresa: despesas, custos, investimentos, gastos de toda ordem.

Ao falar de Finanças para novos empreendedores, quase sempre identificamos três grandes erros:

Erro 1: NÃO “GOSTAR” DE NÚMEROS

Esse é o erro que impulsiona os dois erros seguintes. Na maioria das vezes o verbo “gostar” é usado erroneamente. Na verdade, a frase correta é: EU NÃO ENTENDO DE NÚMEROS.

Esse é um ponto crucial para o sucesso de uma empresa, se não entende de números, como saber se está ganhando dinheiro? Como saber onde está perdendo dinheiro? Qual a margem do negócio? Qual o custo fixo?

Ter uma empresa significa, diretamente, querer ganhar dinheiro. Se você não ganha dinheiro com sua empresa, você na verdade tem uma entidade sem fins lucrativos.

Não quero fazer do dinheiro o objetivo principal de um negócio. Eu não acredito que seja assim. Uma empresa ganha dinheiro ao atender a necessidade do seu cliente.Dessa forma a necessidade do cliente está em primeiro lugar e ao atender essa necessidade a empresa precisa ser remunerada, pois ela tem fornecedores, funcionários, impostos a pagar, precisa fazer investimentos, remunerar seus sócios e muitas outras obrigações.

Entender de números é FUNDAMENTAL para se gerenciar e planejar corretamente uma empresa. Não quer dizer que é uma tarefa fácil, mas é necessária.

Erro 2: CONFUNDIR CAIXA COM LUCRO

Esse erro acontece, principalmente, em empresas que vendem à vista. Um mercadinho, uma padaria, um salão de beleza... Empresas que tem entrada de caixa em dinheiro, quase sempre confundem esses valores com lucro.

Na verdade boa parte desse dinheiro já está comprometido com o pagamento de fornecedores e funcionários (você só saberá o quanto após fazer as contas).

Lucro é o resultado da sua empresa, depois de pagar todas as contas. Caixa é apenas o saldo financeiro que a empresa tem disponível e que deve ser mantido para pagar as contas.

Erro 3: COMBINAR DESPESAS PESSOAIS COM DESPESAS DA EMPRESA

Esse erro acontece com praticamente todos os recém empreendedores. Por não entender de números e ver dinheiro “entrando”, os empresários acabam usando esses recursos para pagar despesas pessoais.

Algumas dessas retiradas de dinheiro são feitas de forma inocente. Uma vez que o empresário também precisa ser remunerado ele tem todo direito de realizar saques da empresa. O problema está na forma e na quantidade de saques. Se você não tiver um eficiente controle financeiro, como vai saber quanto pode retirar da empresa mensalmente? Como saberá se o capital retirado não irá comprometer uma despesa futura.

Contas pessoais precisam ser separadas das contas da empresa. Como se faz isso? Defina um salário para você e aprenda a viver com esse valor, até que a empresa possa pagar mais.

HABILIDADE 4 – PESSOAS

Se você pensa que este tópico trata dos funcionários da empresa, está enganado. A habilidade de se relacionar com pessoas não se limita aos funcionários. Ela se estende a todas as pessoas com quem a empresa tem contato: funcionários, clientes, fornecedores, vizinhos, parceiros e gestores.

Os gestores têm um papel fundamental no padrão de tratamento que a empresa pratica com as demais pessoas. Uma empresa que valoriza as pessoas, fará isso com qualquer pessoa. O mesmo acontece em sentido contrário.

Como uma empresa que distrata os seus funcionários, poderá exigir que o funcionário não faça o mesmo com o seu cliente?

Esse é a habilidade mais difícil de desenvolver sozinho, pois a primeira pessoa que o empreendedor precisa entender é ele mesmo. Ele deve assumir e compreender suas próprias limitações, só então poderá fazer o mesmo com sua equipe, clientes e demais pessoas que se relacionam com o seu negócio.

Essa habilidade é melhor desenvolvida com um suporte externo. Seja um coach, um terapeuta ou mesmo um bom e velho amigo, busque alguém que te ajude a se desafiar e melhorar como ser humano. Somente depois de nos aceitar é possível aceitar os demais.

HABILIDADE 5 – MERCADO

O mercado é o ecossistema no qual a empresa está inserida. Sua vizinhança física e virtual, seus concorrentes, seus clientes ativos e em potencial, o governo e suas regras, as fontes de financiamento, entidades de classe e qualquer outro agente que possa influenciar ou ser influenciado pelo seu negócio.

As novas possibilidades de negócio, novos produtos e novos segmentos também fazem parte do mercado de uma empresa. Conhecer o mercado também é entender como uma decisão tomada em outro segmento, pode impactar o seu negócio. É saber que concorrente é qualquer outro estabelecimento que recebe o dinheiro do seu cliente, em vez da sua empresa.

Qual o comportamento dos clientes? Por que eles compram em uma empresa e não em outra? Se uma empresa não conhece o próprio mercado, como ela poderá prosperar nele?

Todo empresário precisa ir à campo. Ver sua vizinhança. Conhecer seus concorrentes. Visitar seus clientes.

Essas são as 5 Habilidades/Conhecimentos que qualquer empreendedor precisa ter para conseguir evoluir. Algumas vezes você precisará de ajuda, nesses momentos busque a ajuda. Contrate uma consultoria, um coach de negócios, volte para a sala de aula, estude, se capacite.

O que diferencia os vencedores é a capacidade de melhorar durante a jornada.

 

Fonte: https://administradores.com.br/artigos/5-dicas-para-o-sucesso-empresarial

VEJA TAMBÉM