NOTÍCIAS

Bolsonaro diz que 'baterá o martelo' sobre Previdência nesta quinta-feira

14 FEV 2019

O presidente disse que ainda não decidiu se as idades mínimas fixadas na proposta serão de 57 e 62 anos ou de 60 e 65 anos

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro afirmou que “baterá o martelo” sobre proposta final da reforma da Previdência nesta quinta-feira, 13. Em entrevista à TV Record, ele disse que ainda não decidiu se a idade mínima a ser fixada na proposta será de 57 anos para mulheres e 62 para homens ou de 60 anos (mulheres) e 65 anos (homens). O presidente se reúne com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, nesta quinta-feira, às 15 horas, no Palácio da Alvorada.

Como o Estadão/Broadcast antecipou, a minuta da reforma fechada pela equipe econômica propõe idade de 65 anos para homens e mulheres. Esse é um dos principais pontos de impasse do texto. A equipe de Guedes vem tentando fazer o convencimento do presidente a partir de dados que mostram que a diferença salarial entre os mais jovens (que serão atingidos por essa idade mínima) é menor do que em outras faixas etárias.

Guedes ainda busca uma forma de atender a vontade do presidente de exigir as idades de 57 anos e 62 anos para mulheres e homens, respectivamente, se aposentarem, em 2022. Uma das propostas é usar essas idades como referência no último ano do mandato do presidente no desenho da regra de transição.

A intenção é partir de idades mínimas iniciais de 55 anos para mulheres e 60 anos para homens a partir da promulgação da reforma da Previdência. Essas idades subiriam um ano a cada dois anos, a partir de 2020. Ou seja, a partir do ano que vem, as mulheres se aposentariam com 56 anos, e os homens, com 61. Com essa regra, as idades chegarão a 57 anos para mulheres e 62 anos para homens exatamente em 2022, como foi dito por Bolsonaro em entrevistas.

Esse desenho deixa a critério do presidente a definição da "linha de chegada" e o tempo da transição. Se Bolsonaro concordar com idades iguais para homens e mulheres em 65 anos ao fim do período, significa que a transição será mais longa, de 20 anos. Caso a opção política seja por manter uma diferença, a transição fica menor, podendo ser de 10 anos caso a idade das mulheres pare de subir quando atingir 60 anos. Segundo o presidente, dependendo da decisão sobre as idades mínima, haverá um período de transição até 2030.

Sobre as mudanças para policiais militares, civis e bombeiros, Bolsonaro afirmou que a regra será parecida com a que será aplicada aos militares, como antecipou .
Fonte:  O Estadão.

 

VEJA TAMBÉM