NOTÍCIAS

As empresas já estão contratando mais', diz Milton Beck, do LinkedIn.

18 DEZ 2018

Rede social profissional aponta queda na taxa de desemprego nos últimos três meses

São Paulo — De acordo com as estatísticas oficiais, a taxa de desemprego vem caindo no Brasil. No LinkedIn, a maior rede social profissional do mundo, o fenômeno já é perceptível. Nos últimos três meses, segundo Milton Beck, diretor-geral da plataforma para a América Latina, tem sido possível notar o aumento do apetite das empresas por novas contratações. “A gente observa que elas estão se estruturando mais”, diz o executivo.

Para Beck, o fim do processo eleitoral garantiu maior previsibilidade ao país, o que é fundamental para a tomada de decisões – como o aumento do quadro de funcionários. O chefe do Linkedin mostra otimismo com os rumos da economia a partir de 2019. Na visão dele, o país deve atrair mais investimentos no próximo ano. “Se o mercado começar a aquecer, como espero, tudo vai girar positivamente. Vai ter mais consumo e o desemprego vai cair ainda mais”, projeta.
Nesta entrevista, o diretor-geral da plataforma fala também da atuação do LinkedIn no Brasil. O país é o quarto em número de seguidores no mundo (35 milhões), atrás dos Estados Unidos, China e Índia. Ele conta que a rede social ganha 12 mil novos membros por dia, número que tende a aumentar com o aquecimento dos negócios. Beck também dá dicas de como os profissionais podem tornar seus perfis atraentes, ampliando as chances de serem visualizados, e como os usuários devem se comportar na rede social. Confira a íntegra da conversa a seguir.

Você acredita na melhora da economia em 2019? Há algum indicador do LinkedIn que demonstre isso?
Sim. Os sinais que nós temos e o que observamos pelo engajamento dentro do LinkedIn mostram que o apetite das empresas pela contratação de funcionários está aumentando. A gente vê que as companhias estão se estruturando mais. Os indicadores oficiais já mostram uma redução do número de desempregados. Pelas nossas métricas, observamos um aquecimento significativo. Baseado nesse interesse maior que temos visto nos últimos três meses, nos movimentos dentro de nossa plataforma, acredito que a economia deve melhorar no ano que vem.

O que tem colaborado para esse quadro?
Quando analisamos o cenário, o fato de termos passado por um período de eleição, que sempre gera forte expectativa, independentemente do resultado, traz mais tranquilidade. Agora, há maior previsibilidade do cenário, e isso ajuda as empresas a tomarem suas decisões, a fazerem planejamentos por longos períodos. Agora, já sabemos o que podemos esperar.

O que precisa ser feito a partir de 2019 para o país ter um crescimento sustentável?
Além de todos os ajustes macroeconômicos, que são consenso e que precisam ser feitos, acho importante que a estabilidade seja mantida, para que as empresas possam entender e seguir as regras do jogo. Se houver mais investimentos no país, mais segurança para investir, as empresas vão contratar mais e o mercado vai começar a se aquecer. Tudo vai girar positivamente. Estou otimista de que 2019 vai ser bem melhor que 2018. Devemos ter redução expressiva do desemprego no país. Vai ter um ambiente mais estável. E acredito que o LinkedIn vai ser ainda mais útil nesse cenário.

Quantos usuários o LinkedIn tem no Brasil atualmente?
Hoje, temos 35 milhões. Começamos as operações no país em 2012, com 6 milhões, e, em pouco tempo, saltamos para esse patamar. Isso dá uma média de 12 mil novos usuários por dia.

Como a empresa consegue ser rentável?
Uma parte dos recursos vem de usuários que fazem a assinatura premium, para ter alguns benefícios na utilização da rede. Mas a grande fatia da nossa receita vem de serviços oferecidos a empresas, que usam a plataforma para três grandes propósitos. Um deles, recrutar e atrair os melhores talentos. Depois, como uma forma de publicidade. A terceira forma de monetização está relacionada com a utilização do LinkedIn para que vendedores consigam alcançar compradores de maneira mais prática e rápida.

Então, o crescimento de usuários se reflete diretamente no avanço dos negócios.
Sim. Temos uma grande presença no universo dos profissionais do Brasil. As empresas utilizam bastante a plataforma, porque entendem que o valor que podemos oferecer a elas cria um ecossistema muito útil, pelo fato de termos esses 35 milhões de usuários, que estão engajados com conteúdo, com vagas de trabalho, se relacionando com outros profissionais, fazendo networking, entre outras interações.
Fonte: CB Economia

VEJA TAMBÉM