NOTÍCIAS

Prévia da inflação oficial fecha o ano no menor valor desde 1998.

22 DEZ 2017

Custo de vida do brasileiro menor foi influenciado principalmente pela queda dos preços dos alimentos. Medidas que reorganizaram a economia foram determinantes


Depois de medidas adotadas pelo Governo do Brasil que reorganizaram a economia, a inflação deu trégua ao consumidor. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), considerado como prévia do indicador oficial, terminou o ano em 2,94% – valor o mais baixo desde 1998. O dado é calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e foi divulgado ontem, 21. Essa inflação mais baixa se explica, principalmente, pela queda dos preços dos alimentos, que registraram queda de 2,15% no ano. O preço que mais caiu no ano foi o do feijão carioca, considerado um dos produtos mais consumidos pelas famílias brasileiras. Segundo o IBGE, o produto ficou 47,39% mais em conta em 2017. Isso quer dizer que se um saco de feijão custava R$ 5 no início do ano, o preço dele caiu para R$ 2,63. O arroz, outro item indispensável na mesa das famílias, caiu 10,32% no mês. A lista de itens importantes segue com frango inteiro (-9,46%) e alcatra (-5,38%). Outros produtos também ficaram mais baratos influenciados pela supersafra de grãos, que impactou de maneira favorável todos os preços para os consumidores.

Preços mais baixos em todas as capitais
Entre as capitais pesquisadas pelo IBGE, a menor inflação foi a de Belém (1,47%). A mais alta foi a de Brasília, que ficou em 3,74%. Os números mostram, no entanto, que independentemente da cidade, a situação ficou favorável para os consumidores. Em todas as capitais, o IPCA-15 ficou abaixo do centro da meta de inflação de 4,5% ao ano.

Postado: Portal Contábil
Postado Por: Osni Alves Jr.

VEJA TAMBÉM