NOTÍCIAS

Apenas 16% das PMEs brasileiras usam capacidade de processamento em nuvem.

08 JUN 2018

Pela primeira vez, os serviços de computação em nuvem entraram na pesquisa TIC Empresas 2017, lançada nesta quarta-feira (6) pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) por meio do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). No ponto referente ao uso de cloud, o estudo revela que 27% das empresas usam esse tipo de serviço para e-mail, 20% utilizam software de escritório, 25% usam armazenamento de arquivos ou bancos de dados e 16% usam capacidade de processamento em nuvem. Dado a se considerar é que as PMEs têm muito por crescer como mercado em cloud no país.

O levantamento aponta ainda que a proporção de empresas que possuem perfil nas redes sociais chega a 70%. Das empresas que estão presentes nesse tipo de plataforma on-line, 60% contam com uma área ou pessoa responsável pelo monitoramento das redes sociais e 29% terceirizam esse serviço.

A pesquisa TIC Empresas 2017 também investigou a infraestrutura de acesso e atividades que as empresas brasileiras desempenharam on-line. O uso da conexão via cabo apresentou um aumento significativo entre 2015 e 2017, passando de 37% para 51%, ao passo que o uso da conexão DSL, via linha telefônica, diminuiu de 70% para 63%. O uso de conexão via fibra ótica se encontra estável: em 2015, 46% das empresas possuíam esse tipo de conexão, enquanto em 2017 eram 49%.

Entre as atividades analisadas, o uso de mensagens instantâneas ganhou mais espaço, tendo crescido, entre 2015 e 2017, de 62% para 70%. O pagamento de impostos e taxas (72%) é a principal transação realizada por meio da Internet entre empresas e governo, sendo menos frequente a interação com o governo para participação em licitações e pregão eletrônico (21%) e para aquisição de bens ou serviços de organizações governamentais (6%). Já no que diz respeito ao comércio eletrônico, 66% das empresas declararam que realizam compras on-line, enquanto a venda é realizada por 22% das mesmas. O percentual de empresas que vendem on-line encontra-se num patamar de 10 pontos percentuais superior ao verificado em 2011, quando 12% vendiam pela Internet. Entre as empresas que não venderam on-line, 50% disseram que preferem o modelo comercial atual, enquanto 49% disseram que os produtos da empresa não são adequados para formas de comércio on-line.

Realizada entre abril e agosto de 2017, a pesquisa TIC Empresas mede o acesso e o uso das tecnologias de informação e comunicação (TIC) entre as pequenas, médias e grandes empresas brasileiras. Foram entrevistadas 7.062 empresas de pequeno, médio e grande porte. Em 2017, a pesquisa também foi realizada entre as microempresas, a partir de questionário adaptado a esse público específico. Edições anteriores da pesquisa específica para microempresas foram realizadas pelo Cetic.br em 2007 e 2010. A pesquisa com microempresas, realizada no mesmo período, contou com 1.502 entrevistas.
Fonte:Agência Digital

VEJA TAMBÉM