NOTÍCIAS

A grande tacada da gestora das pequenas,

08 MAI 2018

O fundo de private equity H.I.G. apostava em empresas de pequeno e médio porte. Com compra da Elekeiroz, do grupo Itaúsa, muda sua estratégia.

Em suas poucas horas vagas, o gestor de fundos de private equity Fernando Marques de Oliveira gosta de testar suas habilidades na sinuca. Sua mais recente tacada, porém, deu-se muito longe do feltro das mesas de bilhar. Por R$ 160 milhões, incluindo as dívidas, o fundo que administra comprou 96% do capital da empresa petroquímica Elekeiroz, que pertencia à Itaúsa, holding que controla o Itaú Unibanco. “Essa foi um transação emblemática”, diz Oliveira. “Os fundos de private equity não costumam se dedicar ao setor petroquímico na América Latina, mas pensamos na Elekeiroz como uma empresa capaz de gerar muito valor.” Fora do Brasil, no entanto, esse setor vem atraindo recursos de private equity após dois anos de baixa. “Os investidores voltaram à ativa”, diz Roger Diwan, analisa da empresa de pesquisa inglesa IHS Markit. “Há muito dinheiro fluindo para a prospecção, refino e setor petroquímico.”
A Elekeiroz é um nome tradicional no setor. Fundada em 1894, a empresa foi a primeira produtora de ácido sulfúrico da América Latina. Hoje, ela produz insumos para os setores automotivo, construção civil e para a indústria de calçados. No ano passado, faturou R$ 979 milhões, um crescimento de 27% em relação ao ano anterior, e lucrou R$ 153 milhões, avanço de 284%. “A atual gestão, que assumiu a empresa há seis anos, foi muito competente em melhorar a eficiência e os resultados”, diz Oliveira. “Vamos continuar com o mesmo time.” Apesar dos números pujantes, a Elekeiroz não se encaixava na estratégia de investimentos do grupo Itaúsa. Ainda na década de 1980, o Itaú adquiriu a Elekeiroz como uma maneira de proteger o patrimônio do grupo contra as oscilações do câmbio. Por ter suas receitas vinculadas ao dólar, a companhia proporcionava um hedge natural.

Agora, diz Oliveira, a Elekeiroz poderá servir para uma expansão do H.I.G. no setor. Com US$ 25 bilhões em ativos, a gestora tem US$ 600 milhões para investir no Brasil. A compra da Elekeiroz marca uma mudança de postura do H.I.G. Há cinco anos no País, o fundo investiu principalmente em empresas de pequeno porte e em atividades menos intensivas em capital, como a escola de inglês Cel-Lep e a fabricante de sorvetes Cremel. Agora, Oliveira que usar os recursos do fundo para atrair para o seu porftólio companhias de porte maior.
Fonte: Isto É Dinheiro.

VEJA TAMBÉM